Crítica

ADEUS, PROFESSOR | Só quero morrer em paz! (Crítica)

Johnny Depp atua no automático em trama com passagens interessantes

Fala protocoleiros! Bora lá para uma crítica para quem é fã do Johnny Depp! Esse longa é uma comédia dramática americana chamada Adeus, Professor (nome original é Richard Says Goodbye, como sempre as produtoras brasileiras inventando nomes e fugindo do título original!), a produção foi pouco divulgada aqui em terras tupiniquins e conta com a direção de Wayne Roberts (Katie Says Goodbye).

Adeus, Professor / Amazon Prime Video – Foto: Divulgação

Lançado nos cinemas brasileiros em 5 de outubro de 2018 e disponível na plataforma de streaming Amazon Prime Vídeo a partir de 25 de fevereiro de 2021. Então não percam e assistam esse baita filmão, a duração desse longa está com 1 hora e 30 minutos e eu fiquei com os olhos colados me imaginando na situação. A trama acompanha Richard (Johnny Depp), professor de inglês da faculdade Richard Brown, casado e com uma filha adolescente.

Logo no começo do filme ele descobre que está com câncer e seu médico lhe diz que se não fizer tratamento só terá seis meses de vida, desde então ele chuta o balde, mete o pé na jaca, liga o botão do “tô nem ai” e muda toda sua dinâmica de aula com os alunos, levando uma vida perdulária e sendo permissivo em sua residência, não dando a mínima para a traição de sua esposa, Veronica (Rosemarie DeWitt), com o reitor da universidade, Henry (Ron Livingston), que a esposa diz ser seu amigo de trabalho. O professor Richard havia planejado contar à sua mulher e sua filha, Olivia (Odessa Young), mas ao saber que sua filha assumiu que é lésbica e a mãe não aceita, ele preferiu não informar sobre sua saúde, conta para o único amigo, Peter (Danny Huston).

Adeus, Professor / Amazon Prime Video – Foto: Divulgação

Entretanto, sua nova forma de dar aula agrada aos poucos alunos que lhe restaram, entre eles temos a aluna e sobrinha do reitor, Claire (Zoey Deutch), dando esse caminho ao filme e mostrando o professor Richard dando no final do semestre outro rumo à sua vida com a desculpa de tirar um ano sabático.

O filme é sombrio e divertido ao mesmo tempo, tem atuação mediana do protagonista, boa direção de arte, fotografia pertinente, belo cenário universitário, boa trilha sonora e isso como todos sabem, eu sempre mando umas dicas das músicas e a indicação é “Take me for What I Am “, lançada em 1971 pelo cantor Henrey Ford. Particularmente achei o ritmo lento e um roteiro fraco, dividido em seis capítulos, onde um intelectual não mostra qualquer emoção ao contar sobre seu trágico destino e nem ao saber que sua companheira o trai há tempos.

Adeus, Professor / Amazon Prime Video – Foto: Divulgação

Mas no geral, o longa nos faz refletir sobre o quanto nos incomodamos e nos apegamos a certas coisas que só percebemos que não vale nada quando a nossa morte esta antecipada ao que esperamos e o filme forma diálogos interessantes e engraçados.

Trailer:

Adeus, Professor

7

Nota:

7.0/10

Prós

  • Como sempre Jonny Depp, mesmo no automático
  • Diálogos mediáticos
  • Ótima fotografia
  • Boa equipe de atores
  • Ótimas músicas dos anos 60

Contras

  • Sempre o câncer
  • As vezes parado
  • Roteiro podia ser mais envolvente

Erik Ops

Designer de interiores e especialista na área de medicina. Curto jogos retrô como Pinball e Alex Kidd. Gosto de desenhar e fazer street art. Amo muito tudo isso!!

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: