Crítica

AVENUE 5 | Uma série tão perdida quanto sua nave – Episódio 1: I Was Flying

Avenue 5 2020, é a nova série de humor espacial da HBO, contando com nomes de peso, como Hugh Lauri e Josh Gad em seu elenco. O show tenta surfar na onda de outras ficções científicas bem-humoradas, como The Orville. Mas já começa tropeçando em seu primeiro episódio, com uma história que acaba perdendo a mão nas doses, entre humor nonsense, ficção científica e sitcom. Apesar do começo confuso e da crise de identidade pela qual a série passa, podemos ver ali, algo com muito potencial, assim que o show encontrar seu rumo.

(Imagem Promocional: Avenue 5 – HBO)

A premissa da série consiste na viagem inaugural da nava estelar de cruzeiro, que dá nome ao show, Avenue 5. Nela somos apresentados aos personagens da série a começar pelo capitão da nave, Ryan Clark (Hugh Laurie), o dono da empresa responsável pela nave, Herman Judd (Josh Gad) entre vários outros. Tudo segue normalmente, até que um incidente tira a nave de curso em um momento crítico da viagem, e agora o que deveria ser um cruzeiro de 8 semanas pelo sistema solar se torna uma viagem de 3 anos. E com essa premissa a história do primeiro episódio se desenvolve.

No primeiro episódio contamos com o desenvolvimento dos personagens principais, como o Capitão Clark que é considerado um herói, por ter salvo a nave Avenue 3 de um grave incêndio. Porém ao longo do episódio veremos que as coisas nem sempre são o que parecem e talvez o Capitão Clark esteja escondendo algumas coisinhas. Também somos apresentados ao dono da empresa responsável pela viagem da Avenue 5, Herman Judd (Josh Gad), cuja a melhor maneira de descrevê-lo é como a mistura atrapalhada entre um importante executivo de uma grande empresa, com um coach quântico. Iris Kimura (Suzy Nakamura) é a assistente pessoal de Judd, e uma das vozes da razão nessa nave.

(Imagem Promocional: Avenue 5 – HBO)

O Primeiro episódio também nos apresenta a engenheira Billie McEvoy (Lenora Crichlow), que parece ser a única pessoa que sabe o que está fazendo na nave. O Burocrata do serviço de atendimento ao cliente Matt Spencer (Zach Woods) que parece sentir prazer em não ajudar os clientes. Além dos passageiros, como o casal em processo de divórcio Mia (Jessica St. Clair) e Doug (Kyle Bornheimer), e a senhorinha intrometida e fofoqueira Karen (Rebecca Front).

A série conta também com excelentes efeitos visuais, além de designs que tornam a nave os personagens e a história, únicos. Pois diferente da maioria dos outros seriados do tipo, a Avenue 5 não é uma nave de exploração, combate ou carga. Ela é uma nave para transporte de luxo de passageiros, assim como os maravilhosos navios de cruzeiro que temos no mundo real, e isso se reflete nos designs. O show também conta com uma excelente trilha sonora que casa perfeitamente com esse universo diferente que foi criado. Tudo isso somado acaba criando uma experiência agradável que nos deixa curiosos para saber e conhecer mais deste mundo incrível.

(Imagem Promocional: Avenue 5 – HBO)

Avenue 5 começou com os seus problemas, mas é algo tão diferente e único que, com certeza, merece nossa atenção enquanto vemos a personalidade da série se desenvolver, até ela encontrar seu caminho. Esse é com certeza um show promissor e um prato cheio para os fãs de ficção científica e seriados de humor, além de trazer um elenco que por si só já merece nossa atenção.

Avenue 5 - Episódio 1: I Was Flying

6

Nota para o episódio:

6.0/10

Prós

  • Designs interessantes
  • História com potencial
  • Bom elenco

Contras

  • Falta identidade e personalidade
  • Episódio muito curto

Nelson Reverso

Nerd raiz, da época que o termo era xingamento. Amante do cinema especialmente o trash, games e cultura POP. Trekkie, maluco por ficção cientifica. E totalmente politicamente incorreto.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: