Crítica

HISTÓRIAS ASSUSTADORAS PARA CONTAR NO ESCURO | O “Goosebumps” e o “Clube do Terror” de Guillermo Del Toro! (Crítica)

Ultimamente muitos cineastas famosos estão colaborando em projetos mais independentes. Com um currículo lotado para o lado fantasioso e sombrio, Guillermo del Toro ajuda a clássica obra do escritor falecido Alvin Schwartz a ganhar vida nas telonas.

Atuando como produtor roteirista, ele deixa o comando do longa com o competente diretor norueguês André Øvredal (A Autópsia), que mostra neste filme que é ambientado em 1968 o tranquilo povoado de Mill Valley. Que durante gerações, o legado sombrio da família Bellows cresceu enormemente. Sara Bellows, uma jovem que oculta horríveis segredos, transformou sua tortuosa vida em uma série de histórias macabras escritas em um livro, cuja particularidade é que as mesmas se tornam reais para um grupo de adolescentes que o encontram.

A partir dessa premissa, podemos relacionar a história com várias aventuras de terror e fantasia, uma paixão que Del Toro nunca escondeu ter e resolve bancar aqui em um roteiro que mistura as histórias e aventuras sombrias de Goosebumps do famoso autor R.L. Stine e a clássica série dos anos 90, Clube do Terror (cujo nome original é Are You Afraid of the Dark), que está ganhando um reboot no canal Nickelodeon, onde sempre temos o envolvimento de jovens que brincam com histórias de terror e no final acabam ficando envolvidos com o mal que eles zombavam.

 

Inicialmente pode parecer clichê, mas o filme funciona como um gostoso blockbuster para passar o tempo. O ponto positivo aqui está na cinematografia da pequena cidade onde o filme é ambientado, mesmo com ares de filme para TV, a produção se destaca por sempre manter um clima noir e um suspense bastante agradável de se acompanhar, tudo é cinzento e escuro na maior parte do tempo do filme que já se inicia em pleno Halloween americano.

Outro ponto positivo está na química entre os jovens atores, por mais que o roteiro de Del Toro os forcem para situações banais e que podiam ser evitadas pelo velho clichê de suspense e terror, eles conseguem transmitir a crença das situações nos quais eles estão ficando envolvidos durante a trama.

Entretanto, o longa acaba pecando em algumas coisas que poderiam ser mais trabalhadas, por exemplo, o baixo nível de orçamento acaba deixando alguns monstros com formas bem caricatas e pelo gancho que o filme deixa no final, temos aqui algo que acaba reforçando em uma ideia que eu tive no meio do longa e que poderia ter sido até melhor para Del Toro desenvolver com mais perfeição este grande material que só ganhou vida nas telonas por ter o envolvimento dele. Pois, se em vez disso, o filme tivesse virado uma série televisiva em vez de uma produção cinematográfica, acredito que o desenvolvimento de alguns personagens secundários e também da história como um todo, permitiria termos uma trama menos corrida como foi.

Mesmo assim, o filme consegue cumprir com a sua proposta inicial, um blockbuster apadrinhado por um grande nome do cinema atual onde temos garantido cenas com alguns jump scares básicos e uma história sessentista que vai fazer você adorar assistir esse filme “teen” com os seus amigos. Uma boa dica para um filme para passar o tempo e se divertir com a galera!


Trailer:


Gostou da matéria? Então dá aquela força, comenta e compartilha com seus amigos, curta, siga e fique ligado no Protocolo XP nas redes sociais.

Protocolo XP no Facebook

Protocolo XP no Twitter

Protocolo XP no Instagram

Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro chega aos cinemas no dia 26 de setembro.

6

Nota para o filme:

6.0/10

Prós

  • Clima da História
  • Elenco
  • Guillermo Del Toro

Contras

  • Clichês
  • CGI
  • Sem cenas assustadoras

Igor Ops

Professor de Biologia e Educação Física Escolar, amante de praticamente tudo do mundo nerd e lunático pela 7º Arte. Gosta da Marvel mas não tem vergonha de revelar para todos o seu amor platônico pela DC Comics e odeia a briga boba entre marvetes e dcnautas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: