Crítica

LOKI | Crítica da 1ª temporada

Agora é oficial! Temos um Multiverso Cinematográfico Marvel!

A Marvel segue acertando em suas séries lançadas no streaming Disney+. Após os sucessos Wandavision e Falcão e O Soldade Invernal, chegou a vez do deus da mentira interpretado por Tom Hiddleston ganhar os holofotes com a série Loki, que foi dividida em 6 episódios. 

Loki deve ser o vilão mais amado do UCM e a cada novo filme consegue escapar da morte, enganando os outros personagens e o espectador. Após seu fim trágico logo no início de Vingadores: Guerra Infinita, os fãs achavam que seria o fim do deus da trapaça, o que foi revertido no filme seguinte, Vingadores: Ultimato, com Loki conseguindo tomar posse do Tesseract.

A série Loki começa a partir daí, com Loki surgindo no meio do nada com o cubo cósmico e uma equipe da AVT surgindo e imediatamente o prendendo. 

É muito bom quando vemos um estúdio tratando bem suas propriedades, e é isso que a Disney faz com vários de seus personagens, em especial em suas séries originais lançadas no Disney+. Em Loki temos novamente um acerto em cheio. História envolvente, bem escrita, personagens interessantes e bem desenvolvidos, fã-service a rodo, referências, espaço livre para criação de teorias (algumas realmente malucas, outras que fazem muito sentido), conexões com outras obras de seu universo compartilhado, o UCM, e principalmente, aquela sensação angustiante de querer saber o que vai acontecer a seguir.

Como já era esperado, várias versões de Loki são apresentadas, personagens distintos, alguns novos, outros velhos conhecidos dos quadrinhos, todos, repido, todos muito bem caracterizados e únicos. Apesar do grande “vilão” dessa temporada estar na cara desde o seu primeiro episódio, a forma como ele foi apresentado não poderia ter sido melhor, e seu futuro nesse universo é bastante promissor.

A única ressalva que faço a Loki é que a versão que temos do deus da trapaça não ser a correta cronologicamente. Deveriamos ter o Loki de Vingadores 1 na série, mas o que vemos é um Tom Hiddleston que parece dar sequência ao Loki que foi morto por Thanos, após toda a “jornada de redenção” que o mesmo passou após ser o grande antagonista no primeiro filme dos Vingadores, tudo isso apenas vendo através de um “trailer” apresentado por Mobius sobre qual seria o futuro correto para ele na linha do tempo.

Quanto a parte técnica, a Disney realmente sabe o que faz. Não temos como comentar a qualidade apresentada em todos os quesitos, pois apesar de ser uma série, é uma produção cinematográfica, com efeitos especiais de ponta, fotografia, efeitos visuais e sonoros de encher os olhos. 

Junto ao final de Loki, já temos confirmada a 2ª temporada do show e também a participação de Tom Hiddleston no hypadíssimo Doutor Estranho no Multiverso da Loucura, ao lado de Benedict Cumberbatch e Elizabeth Olsen.

A série Loki abre de vez as portas do UCM para o multiverso de vez. A Marvel não se apavorou em acrescentar as propriedades que estavam com a Fox em seu universo, construindo tijolo por tijolo a ponte que ligará Os Vingadores com equipes como o Quarteto Fantástico e os X-Men, sem descaracterizar e tirar a importância das obras que iniciaram a sua galinha dos ovos de ouro. 

O futuro do UCM é reluzente, as possibilidades são gigantes, e quem ganha com isso somos nós fãs, que temos o prazer de acompanhar em tempo real a era dos super-heróis no cinema.

Sinopse:

Trailer:

Loki

9.5

Nota para a 1ª temporada

9.5/10

Prós

  • Tom Hiddleston
  • História
  • Referências e easter eggs
  • Efeitos especiais, sonoros e visuais
  • Lokiverso

Contras

  • Somente 6 episódios
  • Loki "errado" na série

William Peloso

Pai do Pedro, Flamenguista, administrador e redator do Protocolo XP, auxiliar fiscal, muito prazer, William! Foco dividido em diversas áreas de cultura nerd/pop/geek, navegando entre games, livros, filmes, séries, animes e quadrinhos e claro, grande fã de Harry Potter, da Marvel, DC, Xbox, Playstation, Nintendo e PC!

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: