Crítica

LUPIN | Crítica da parte 2 da 1ª temporada

Segunda parte fecha o arco entre Assane e Pelegrini.

Foi lançada a parte 2 da 1ª temporada da série francesa Lupin pela Netflix, e temos o desfecho da batalha entre Assane Diop (Omar Sy) e Hubert Pellegrini (Hervé Pierre). Antes de começar o texto, leia nossa crítica da parte 1 de Lupin clicando aqui.

A parte 2 de Lupin compreende os episódios 6 ao 10 dessa 1ª temporada do show e começa onde paramos no episódio 5, com Raoul (Etan Simon) sendo sequestrado pelo capanga de Pellegrini, Leonard (Adama Niane).

Seguindo o mesmo ritmo dos primeiros episódios, Assane continua seguindo seu plano para desmascarar o poderoso empresário Hubert Pelegrini e fazer com que ele pague por seus crimes, mas a cada novo passo, ele parece ser mais cercado pela polícia e por seu rival, que utiliza todas as suas influências para se manter intocável.

A série continua explorando muitos flashbacks da juventude de Assane, sempre fazendo ligação entre ações passadas e presentes que ocorrem da mesma maneira, também mostrando como o personagem adquiriu suas habilidades e truques. Há um excesso no uso desse recurso, cortando a todo momento o ritmo da trama e deixando por vezes a história cansativa, além de que Assane mostra habilidades exageradas e um excesso de preparo que escancara o principal truque de seu personagem, o roteirismo, em momentos que beiram o deus ex machina e tiram um pouco do realismo das sequências de acontecimentos. Ainda assim, há momentos dos planos de Assane que são brilhantes e vemos ali de fato um planejamento bem orquestrado.

Quanto a fotografia de Lupin, não há nada do que reclamar, muito pelo contrário. Paris é uma cidade linda, e é ótimo podermos ver mais dela, suas construções, sua paisagem, cada detalhe. Quando as atuações, não há muito o que se destacar, não vemos nada espetacular, mas também nada que destoe negativamente. O que mais incomodou foram alguns disfarces de Assane que ficaram bastante “amadores” e que deixavam o personagem facilmente identificável, nada como um mestre dos disfarces, como as histórias de Lupin sugerem.

Essa primeira temporada de Lupin se encerra com suas duas partes deixando em aberto a possibilidade de novas temporadas* do show, mas fecha o arco principal do protagonistas e seus coadjuvantes, nos trazendo uma história amarrada, interessante, mesmo que por vezes um pouco forçada. Ainda assim, vale muito a pena conferir, pois é uma boa série!

Trailer:

* Se você notar, o trailer traz um easter-egg durante um breve momento em seu 1 minuto e 52 segundos, onde aparece um caderno com a url http://assane-diop.com, que traz a seguinte afirmação: “Assane está sempre um passo à frente. Lupin estará de volta para a parte 3.”

Lupin

7.5

Nota para a parte 2:

7.5/10

Prós

  • Omar Sy
  • Momentos brilhantes do plano de Assane
  • Trama fechada e sem pontas soltas

Contras

  • Muitos flashbacks
  • Um pouco forçado as vezes

William Peloso

Pai do Pedro, Flamenguista, administrador e redator do Protocolo XP, auxiliar fiscal, muito prazer, William! Foco dividido em diversas áreas de cultura nerd/pop/geek, navegando entre games, livros, filmes, séries, animes e quadrinhos e claro, grande fã de Harry Potter, da Marvel, DC, Xbox, Playstation, Nintendo e PC!

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: