CríticaEquipe Protocolo XP

POUSANDO NO AMOR | As apostas da Netflix para obras Sul-Coreanas estão mostrando resultados positivos (Crítica da série)

Pousando no Amor (Crash Landing on You), é um drama sul-coreano da tvN com exibição mundial pela Netflix. Com duração de 16 episódios, lançados todo final de semana, aos sábados e domingos.

A trama se inicia com a história da fashionista e empresária sul-coreana Seri (Son Ye Jin), mesmo nascida em ‘berço de ouro’ a protagonista resolveu sair de casa para poder conquista seu próprio império. Apesar do afastamento da família seu pai a oferece o cargo de presidente das indústrias dele, cargo que os dois irmãos almejam. Para contrariar sua mãe e irmãos, ela aceita ser herdeira do império da família e se torna uma ambiciosa empresária.

Por outro lado, Jeong Hyeok (Hyun Bin) é um capitão norte-coreano, que mora numa comunidade simples e apesar de ser o único herdeiro de um grande militar norte coreano, ele não permite que ninguém saiba de sua origem. Ele busca informações sobre a morte de seu irmão Mu Hyeok, que também era um militar que foi morto em uma situação bem suspeita.

A comédia romântica ambientada entre a Coreia do Sul e a Coreia do Norte, inicia-se quando Seri atravessa a fronteira após um acidente de parapente. Ela é encontrada pelo militar comunista, Ri Jung Hyuk, que por interesses próprios a ajudará a se esconder no país mais fechado do mundo.

A dona Netflix nos presenteou com uma grata surpresa com Crash Landing On You, numa ótima visão do que são os dramas românticos coreanos: dois indivíduos incompatíveis, muitas complicações, ótimos alívios cômicos e casal secundário que deixa os espectadores em amores por eles. É quase como uma novela, com tantas reviravoltas que você fica até perdido. O K-drama pega ainda mais pesado, comentando a vida nos dois lados e as principais diferenças entre a Coréia do Norte e a Coréia do Sul.

Direção e Fotografia

O drama é produzido pelo Studio Dragon, um dos maiores da Coreia, responsável inclusive por um dos mais icônicos dramas atuais, Goblin (2016). Com uma ficha técnica bem marcante, as expectativas eram bastante altas, nos quais cumpre com êxito e folga.

A direção de Lee Jeong Hyo demonstra-se impecável logo no primeiro episódio, que utiliza maravilhosamente das belezas naturais coreanas para criar cenários que elevam a fotografia da produção, além de cooperar com a dramaticidade da trama. Por meio da historia podemos conhecer bastante das Coreias, bem como da Suíça e Mongólia, onde também se passa o drama. É uma verdadeira lição e uma viagem cultural.

Cenografia e Figurinos

Além das belas paisagens, o cuidado ao retratar as cenas ambientadas no Norte é de surpreender, levando em consideração a arquitetura típica e toda a sua peculiaridade política. Podemos ver como a cidade esta parada de certa forma no tempo, como coisas comuns para nós como geladeira, para eles não possuem serventia, graças aos picos e as faltas de energia constantes. A também as mensagens de respeito ao Grande Irmão estampadas em diversos ambientes.

A linguagem também se torna algo interessante, embora o coreano seja a língua padrão em ambos os países, há uma forte diferença de entonação e adequação do vocabulário, considerando que o Sul foi se adaptando sob influência de termos da língua inglesa, enquanto o idioma no Norte parece ter parado no tempo.

Vale ainda reparar na linguagem visual, como as roupas. Os figurinos fazem um ótimo trabalho para ajudar a separar o Sul do Norte, com a chique Seri totalmente deslocada em meio às vestimentas simples das mulheres locais, que em nada se assemelham à sulina.

Em geral, assistir a Pousando no Amor é uma grande e enriquecedora experiência.


Trailer:

 

Pousando no Amor

9

Nota para a série:

9.0/10

Prós

  • Ótimo Roteiro
  • Boas Atuações
  • Boa Ambientação
  • Otima Fotografia

Contras

  • Vilão Fraco
  • alguns episódios perdem o ritmo

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo