CríticaIgor

SEM RASTROS | Uma perda doentia e surpreendente (Crítica)

Longa estrelado por Thomas Jane e Anne Heche pode te surpreender com plot twist

Se você está procurando um thriller psicológico cheio de suspense, atores conhecidos e reviravoltas no enredo que o farão tentar adivinhar o enredo o tempo todo, Sem Rastros é o filme que promete te surpreender com muitos mistérios e cenas de crime sobre uma criança desaparecida.

Sem Rastros / A2 Filmes – Foto: Divulgação

Certamente não faltando originalidade, o longa dirigido por Peter Facinelli é uma história sobre um feriado em família que dá errado, muito errado, com os pais procurando pela filha desaparecida. Aí que vem as perguntas, ela está no mato? No lago? Ela foi sequestrada ou pior, assassinada? Sem se convencer o suficiente, o casal vivido pelos astros Thomas Jane e Anne Heche acionam a polícia local na busca para encontrar sua filha e com dias passando eles acabam iniciando sua própria investigação que vai te deixar bastante intrigado, mesmo que alguns momentos arrastados acabem te deixando na esperança de tentar descobrir a verdade sobre o que aconteceu com a filha do casal protagonista.

No entanto, quer você tenha suas suspeitas o final lança toda a história sob uma luz diferente, deixando claro o quanto do que Facinelli nos mostrou funcionou de forma convincente. É o tipo de reviravolta que pode irritar completamente alguns espectadores, enquanto outros podem ficar intrigados o suficiente, pois mesmo com atores conhecidos, Sem Rastros é o típico filme que pode agradar gregos e desagradar troianos. Se você não for exigente com a história e busca um suspense para entreter, a produção é bastante envolvente e entrega aquilo que você espera. 

Mas se você tem um olhar mais apurado e busca algo mais rico em atuações e enredo, os clichês e a canastrice de alguns personagens, principalmente a atuação dos protagonistas (Thomas Jane e Anne Heche) irão acabar te decepcionando. Particularmente eu senti ao assistir que é um filme muito bom, o roteiro e direção de Peter abordam uma mistura de um tema que é difícil, a dor, a perda, a depressão familiar de pessoas que acabaram tendo um pedaço arrancado de suas vidas, fora ainda que a produção conseguiu entregar uma tipicamente comum mas com plot twist que entrega o enredo de uma maneira realmente única.

Sem Rastros / A2 Filmes – Foto: Divulgação

No geral, Sem Rastros tem falhas por um dos primeiros projetos de Peter Facinelli, mas surpreendente por um longa que abusa dos clichês mas tem uma reviravolta que pode te deixar boquiaberto ou a construção pode te deixar irritado com as caras e bocas de Thomas Jane e Anne Heche, aí vai da sua escolha, você vai querer só se entreter ou vai olhar o filme de forma técnica? Assista e diga o que achou da história que poderá surpreender.

Trailer:

https://youtu.be/skq_DZ8__Bs

Sem Rastros

7.5

Nota

7.5/10

Prós

  • Thriller agradável
  • Boa direção de Peter Facinelli
  • Plot twist com bom suspense
  • Mantém você adivinhando

Contras

  • Um pouco lento às vezes
  • Atuações forçadas de Thomas Jane e Anne Heche

Igor Ops

Professor de Biologia e Educação Física Escolar, amante de praticamente tudo do mundo nerd e lunático pela 7º Arte. Gosta da Marvel mas não tem vergonha de revelar para todos o seu amor platônico pela DC Comics e odeia a briga boba entre marvetes e dcnautas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo