CríticaEquipe Protocolo XP

STAR TREK: PICARD | Encontrando amigos do passado – Episódio 07: Nepenthe

E entramos na reta final de Star Trek: Picard, com o sétimo episódio que chegou ao ar essa semana, agora faltam apenas mais 4 episódios para encerrar a primeira temporada. A aposta da vez é trazer mais personagens clássicos de volta, dessa vez em um lugar paradisíaco. Mas apesar do encontro nostálgico, que é uma das partes que mais lembra algo vindo de Jornada nas Estrelas em ST: Picard até agora, mesmo assim tudo vai por água abaixo com o retorno da bendita vulcana de Ray Ban, dos irmãos romulanos fugitivos de Game of Thrones e é claro da desagradável tripulação da La Sirena. Apesar de ter me sentido estranhamente representado pela Dra. Jurati nesse episódio, afinal fico cada vez com mais vontade de vomitar enquanto assisto esse lixo. Lembrando sempre que o texto a seguir pode conter spoilers!

(Star Trek: Picard – Amazon/CBS)

Começamos o episódio com o flashback padrão, aqui vemos a dra. Jurati encontrando a comodora Oh, desta vez em uma cena estendida mostrando que a comodora realizou um elo mental em Jurati mostrando toda a destruição que um sintético pode causar. Após vemos Jurati concordar em espionar Picard e em seguida engolindo um dispositivo rastreador. Na sequência voltamos ao cubo Borg onde vemos Narissa, ela está tentando fazer Hugh revelar para onde Picard e Soji foram, e para isso ela executa todos que foram resgatados da coletividade Borg, na frente dele. Enquanto isso, os romulanos deixam a La Sirena ir e Narek pega uma nave para segui-los, utilizando o rastreador implantado em Jurati.

Em Nepenthe, vemos Picard e Soji chegando em um lugar paradisíaco. Onde em seguida encontram Kestra (Lulu Wilson) filha de Riker e Troi, que os leva até em casa para encontrar seus pais. Chegando lá Picard é recepcionado por Troi interpretada mais uma vez por Marina Sirtis e Riker também interpretado pelo ator original Jonathan Frakes que agora sai de trás das câmeras, onde já dirigiu alguns episódios da série, para voltar como o clássico “Number One”. A história segue e ficamos sabendo que os acontecimentos do cubo Borg tiveram efeitos profundos em Soji, que agora não consegue mais confiar em ninguém. Enquanto isso na La Sirena, Rios tenta de todas as formas escapar da nave de Narek para ir encontrar Picard em Nepenthe.

(Star Trek: Picard – Amazon/CBS)

No cubo Borg, vemos Hugh e Elnor que estava escondido, voltando até os aposentos da rainha Borg. Onde eles pretendem tomar o controle do cubo, mas no caminho eles encontram Narissa que enfrenta Elnor e no confronto acaba matando Hugh. Com isso Elnor foge mais uma vez, e se esconde. De volta na La Sirena, Jurati se arrepende e percebe que a nave romulana está perseguindo eles devido ao dispositivo de rastreamento dela. Com isso ela se injeta uma substância que desativa o rastreador, mas que também a coloca em coma e com isso a nave de Rios consegue escapar. De volta em Nepenthe, Picard consegue recuperar sua autoconfiança e a confiança de Soji, com a ajuda de seus velhos amigos, e agora Picard e Soji irão para o planeta natal de Soji que Kestra conseguiu descobrir onde fica.

(Star Trek: Picard – Amazon/CBS)

Esse até poderia ter sido um episódio mediano de Jornada nas Estrelas: A Nova Geração, se tivesse se passado exclusivamente em Nepenthe, mas infelizmente as cenas no cubo Borg, na La Sirena e o flashback inicial estavam lá infelizmente, para nos lembrar o que realmente estávamos assistindo. E nessa reta final a série consegue a proeza de criar personagens tão genéricos e um Picard tão diferente, que para muitos já não faz mais diferença se a missão de Picard será bem-sucedida ou não.

Star Trek: Picard - Episódio 07: Nepenthe

6

Nota para o episódio:

6.0/10

Prós

  • Aparição de Riker e Troi
  • Locações muito bonitas

Contras

  • Lacunas na história ainda não respondidas
  • Romulanos mal representados
  • Novelão no mesmo nível de Discovery
  • Mais vulcanos de óculos de sol
  • Mais arrastado que lesma em lixa de unha

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo