CríticaIgor

STARGIRL | Primeiras impressões da nova série da DC Comics! – Episódio 01 – Pilot (Crítica)

A CW há muito tempo tem um forte domínio sobre os super-heróis da DC Comics na TV. Desde a estreia de Arrow, oito anos atrás, o canal se destacou em trazer os heróis da editora das Lendas para a tela de uma maneira agradável e geralmente familiar. O DC Universe foi lançado em 2018, trazendo mais séries ricas, incluindo Titãs e Patrulha do Destino com classificação de idade alta com episódios estranhos, brutos e adoráveis. Stargirl é a primeira série do DC Universe a fazer a transição para a CW, sendo essencialmente um simulcast, atingindo o streaming da DC um dia antes do que chega à rede de TV americana e embora sua gênese tenha começado com o mundo sombrio do Universo DC, Stargirl é um sonho adequado para a CW e para os fãs que acompanham a DC Comics em sua empreitada nas séries de TV. 

Joel McHale como o herói Starman em cena da série “Stargirl” / DC Universe, The CW, DC Entertainment

Embora você possa não ter ouvido falar da heroína da DC criada por Geoff Johns, em memória de sua falecida irmã, junto com Lee Moder e David S. Goyer, você não estará sozinho. Stargirl definitivamente não está na lista de super-heróis A da DC Comics, mas depois desse episódio, ela poderá estar. A coisa boa sobre seu status menos conhecido é que o primeiro episódio funciona como uma introdução na personagem, sua história de fundo, sua tradição e como ela obtém seus poderes. Brec Bassinger é Courtney Whitmore, uma adolescente que não fica feliz em mudar-se de sua casa de infância em Los Angeles para o a cidade pequena de Blue Valley, Nebraska. Mas espere um segundo, antes de chegarmos a tudo isso, precisamos falar sobre a Sociedade da Justiça da América e a Era de Ouro dos Heróis, que segundo o piloto ocorreu 10 anos antes da história principal do programa. 

O episódio começa com uma sequência de luta inspiradora, com valores de produção muito maiores do que a maioria das outras séries de TV da DC que vimos, que é uma tendência que fico feliz em relatar. A equipe SJA da Era de Ouro do universo da série apresenta o Homem-Hora, Doutor Meia-Noite e o Pantera, que estão sendo liderados por Starman (Joel McHale). Sua batalha perigosamente mágica é contra a Liga da Injustiça, composta por Tigresa (Joy Osmanski), Onda Mental (Christopher James Baker), Mestre dos Esportes (Neil Hopkins), O Mago (Joe Knezevich) e Geada (Neil Jackson).

Os vilões da Sociedade da Injustiça em cena da série “Stargirl” / DC Universe, The CW, DC Entertainment

É difícil superestimar o quão divertido é esse primeiro episódio de Stargirl. Embora comece com uma tragédia, isso de maneira alguma não define o tom daqui para frente e subverte a habitual história de tristeza dos super-heróis, preenchendo o papel central com uma jovem cheia de vida, atitudes e perguntas sobre seu pai ausente. Entre Pat Dugan (F.A.I.X.A.), de Luke Wilson, padrasto de Courtney e companheiro de Starman, Nossa heroína adolescente tem pouco interesse no novo homem na vida de sua família, mas tudo muda quando se dirige para Nebraska e ela descobre uma equipe mágica no porão de seu novo lar. 

Stargirl tem uma história de origem fora da página que é muito mais pessoal e trágica do que a maioria. Geoff Johns criou a personagem como um memorial para sua própria irmã Courtney, que morreu em um acidente de avião em 1996. Talvez seja por isso que o programa pareça tão perfeito e bem cuidado. Nada parece apressado e todo trabalho de elenco pode ser chamado de perfeito sem qualquer hipérbole com uma história familiar. Temos uma nova e estranha cidade pequena cheia de segredos, um herói lutando com seu legado para fazer a diferença no mundo e uma conspiração criminosa gigante que ameaça tudo o que nossa protagonista preza. Tudo é bem encaixado e funciona com reviravoltas suficientes para torná-lo emocionante e infinitamente assistível. 

A maior coisa que Stargirl tem a seu favor, além de efeitos incríveis, um elenco estelar e um ótimo roteiro, é que está cheio de esperança. Cada minuto é centrado na possibilidade de encontrar felicidade, seguir em frente e deixar a tristeza de lado, se apaixonar de novo, descobrir seu propósito e, talvez, se você tiver sorte em compartilhar esse objetivo com outras pessoas ao seu redor. 

Brec Bassinger em cena da série “Stargirl” / DC Universe, The CW, DC Entertainment

O show conta com a ajuda vários personagens da DC que nunca vimos trazidos à vida e parece mais um projeto de filme com heróis não tão famosos da DC Comics do que uma série de TV que será transmitida na CW. No geral a série começou bem, o número de 13 episódios nesta primeira temporada destaca também todo o poderio que a série poderá nos mostrar, sinto o cheiro de uma promissora nova série de heróis fazendo bastante sucesso.

Stargirl (Piloto)

9

Nota:

9.0/10

Prós

  • História
  • Elenco
  • Efeitos Especiais

Contras

  • Descobrimento fácil do seu passado

Igor Ops

Professor de Biologia e Educação Física Escolar, amante de praticamente tudo do mundo nerd e lunático pela 7º Arte. Gosta da Marvel mas não tem vergonha de revelar para todos o seu amor platônico pela DC Comics e odeia a briga boba entre marvetes e dcnautas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo