Crítica

UM GRITO DE LIBERDADE | Um belo amor fraternal entre mãe e filha! (Crítica)

Tratando drasticamente a relação entre mãe e filha, chegou no Cinema Virtual o novo filme do diretor Mustafa Kotan, que em território tupiniquim recebeu o nome de “Um Grito de Liberdade” e que originalmente se chama “Annem”. O longa acaba sendo um “grito” silencioso em que o diretor e a equipe de produção tem dificuldade em adaptar ao não fugir dos excessos de clichês, mesmo tendo uma atuação bela de uma experiente atriz turca. 

O filme retrata uma mãe que é capaz de sacrificar tudo e tornar o impossível uma realidade para sua filha. Já a filha tem vergonha de sua mãe e quer fugir de tudo para viver longe da família. O grito de liberdade da jovem surgiu com sua partida para a faculdade, deixando tudo para trás. Mas com o passar do tempo, o desejo de voltar para casa só aumentou fazendo com que a relação entre mãe e filha se torne algo forte na trama.

Cena do filme “Um Grito de Liberdade” / A2 Filmes

As diferenças culturais em uma Turquia que apresenta tradições culturais do seu lado árabe arcaico e um modo mais futurista pelo lado europeu acabam se destacando em um roteiro que transmite um aspecto humorístico e emocional. Esse equilíbrio é tão bem colocado que está posicionado com tanto cuidado que você poderá rir e chorar com algumas situações. Há um pouco de quase todas as emoções no filme e muitas dessas emoções estão reunidas no mesmo personagem. Sumru Yavrucuk, que desempenha o papel de mãe é uma criação tão boa que é quase real, pois ela viaja entre nós como uma mãe real e ficcional ao se preocupar com sua filha em uma bela atuação.

Quando nos aproximamos do final do filme, é exatamente o ponto que a história deixa a comunicação emocional entre mãe e filha e entra no eixo de Nazlı e os problemas que ela encontrará na vida, os personagens apresentados por esses estudos detalhados e meticulosos são substituídos pelos personagens que conhecemos dos antigos filmes turcos. Nesta parte os indivíduos com os quais Nazlı colidiu nunca foram considerados e fica óbvio que eles não são desenhados como personagens profundos que vivem no filme com seus hobbies, fobias, fatos e coisas em que acreditam.  

Cena do filme “Um Grito de Liberdade” / A2 Filmes

Mesmo o enredo não tendo certo objetivo aqui não temos com clareza uma solução do problema no qual o diretor teve durante o desenvolvimento do longa, pois seria interessante se o final do longa ficasse anexado com um ponto final na história para que belas cenas relacionadas ao tema pudessem ser colocadas, pois o que é retratado no final originalmente não vem à mente em termos da realidade do roteiro cheio de clichês e da estrutura dos personagens desenhados e aceitos. Mas se foi proposital, foi arriscado, mas bem sucedido.

Ao todo, o longa turco é muito agradável de assistir e muito emocional ver uma relação forte entre mãe e filha tornando uma produção satisfatória para quem gosta de drama. 


UM GRITO DE LIBERDADE
Turquia | 2019 | 110 min. | Drama

Título Original: Annem
Direção: Mustafa Kotan
Roteiro: Evren Erdogan, Bener Karaçor, Ayse Balibey Tanil
Elenco: Özge Gürel, Sumru Yavrucuk, Sercan Badur
Distribuição: A2 Filmes

Trailer:

Um Grito de Liberdade (Annem)

6

Nota para o filme:

6.0/10

Prós

  • Abordagem da História
  • Bela atuação de Sumru Yavrucuk
  • Drama que pode saltar lágrimas

Contras

  • Roteiro simples e cheio de clichês
  • Enredo e direção fraca
  • Coadjuvantes com pouco brilho

Igor Ops

Professor de Biologia e Educação Física Escolar, amante de praticamente tudo do mundo nerd e lunático pela 7º Arte. Gosta da Marvel mas não tem vergonha de revelar para todos o seu amor platônico pela DC Comics e odeia a briga boba entre marvetes e dcnautas.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: