Connect with us
WATCHMEN | ‘Nostalgia’ extraordinária! - Episódio #06: This Extraordinary Being (Crítica) - Protocolo XP

Crítica

WATCHMEN | ‘Nostalgia’ extraordinária! – Episódio #06: This Extraordinary Being (Crítica)

Published

on

E Damon Lindelof começa a colocar suas armas pra fora e nos apresenta um episódio tecnicamente perfeito na até agora impecável serie de Watchmen.

‘This Extraordinary Being’ é o peso de condensar a história de vida de um homem e a conspiração nacional que ele descobriu com sua vida e o conceito de ficção científica no centro pode ser um pouco demais. Sim, mesmo em um show que apresenta um lago cheio de bebês e uma chuva de lulas, o mesmerismo pode estar longe demais. Aqui Lindelof mostra um ótimo conhecimento e consegue fazer com que ‘This Extraordinary Being’ amarre uma história que mostra os Minutemen são seres comuns, mas com feitos extraordinários.

Toda vez que falamos das origens dos super-heróis, muitos mitos acabam sendo invocados de como eles surgiram, seguindo aquele script lindo e fantasioso de que o trauma que envolve eles não os atingiram de forma tão pessoal, aqui temos a revelação de que Will Reeves, sobrevivente do massacre de Tulsa e avô de Angela Abar, é o vigilante mascarado conhecido como Justiça Encapuzada e como uma necessidade pessoal fez dele ser o primeiro super-herói no universo de Watchmen.

Cenas do passado de Will Reeves – Watchmen / HBO & DC Entertainment

A revelação, embora provavelmente previsível para alguns (para mim estava bem na cara!), ainda é totalmente surpreendente. Dê um passo para trás por um momento para considerar o que Watchmen fez. Pegou o primeiro super-herói de seu mundo e o relacionou em um dos cânones mais importantes dos quadrinhos e revelou que ele era um americano negro com uma história de origem exclusivamente americana digna do Homem de Aço de Krypton.

A revelação de Will Reeves como Justiça Encapuzada funciona em todos os níveis possíveis. A ideia de que o massacre de Tulsa, o filme mudo de Bass Reeves e a 1º edição da famosa HQ Action Comics é a equação precisamente correta para criar o primeiro herói mascarado de Watchmen é maravilhosa homenagem para o legado dos heróis e também para a DC Comics. E ver isso acontecer na prática é de alguma forma ainda mais gratificante, pois a corda e o capuz que Justiça Encapuzada vestia estavam sempre pingando de um claro simbolismo, que na verdade não estava tão claro para nós antes. O fato de o capuz e a corda virem da mesma noite em que Will Reeves quase foi linchado por seus próprios colegas da polícia se encaixa tão perfeitamente na identidade e no estilo do herói que é uma maravilha que ninguém pensou em fazer isso antes.

O elefante barbudo na sala, é claro, é que ninguém pensou em fazê-lo antes porque o co-criador de Watchmen não queria que eles o fizessem antes. O homem cujo nome é legalmente impedido de se associar a esse empreendimento contou a história que ele queria contar e desejou que não fosse mais contada. Essa história incluiu a identidade do Justiça Encapuzada sendo deliberadamente perdida ao longo dos tempos, talvez como um comentário sutil sobre a fungibilidade da história ou apenas como um mistério para envolver os fãs após o término da história. Como quase todos os aspectos de Watchmen, os eventos do episódio 6 levam a série para um momento em que os personagens carregam uma sensação mais forte do que está prestes a vir à tona e tudo funciona perfeitamente.

Obviamente, parte do motivo pelo qual o show ressoa tão fortemente é porque as batidas emocionais são puras. Graças a um roteiro de Damon Lindelof e Cord Jefferson, e o envolvimento ocasional de Regina King como Angela Abar em uma viagem ao comprimido Nostalgia, o que poderia ter sido uma lição difícil sobre a história dos super-heróis é dinâmico e vivo. ‘This Extraordinary Being’ faz um excelente trabalho, ao enquadrar a história como parte da experiência de Angela e também deixar a história de Will falar por si. A alucinação de Angela, começando com um baterista da polícia, imediatamente dá um impulso cinético ao episódio. Então, quando o mundo de Angela retrocede, somos empurrados para o de Will.

Angela/Sister Night (Regina King) tendo visões do passado de Will Reeves – Watchmen / HBO & DC Entertainment

Existem muitos dispositivos narrativos e visuais legais para nos lembrar que o que estamos vendo é uma memória e carrega toda a bobagem confusa nela. Para iniciantes, o episódio é em preto e branco (você sabia que aproximadamente 12% da população relata sonhar em preto e branco?). Mesmo além disso, existem pequenos floreios criativos e às vezes perturbadores e a mãe de Will toca a música “Trust in the Law” em seu piano pelas ruas de Manhattan. Os aviões do massacre de Tulsa rugem quando são trazidos à tona. Em um exemplo, o carro da polícia que os colegas de Will dirigem arrastam os corpos mutilados de seres humanos atrás dele, como em Tulsa. 

Os efeitos, juntamente com algumas interlocuções de Angela (“Você não está se mexendo, mas seus olhos estão bem abertos. É meio assustador, Angela“, diz Laurie) ajudam bastante a animar o que poderia ser um simples episódio de flashback e contextualiza bem que estamos vendo algo que continua sendo importante. Realmente, as porcas e os parafusos da história de Will são bastante simples quando divididos em seus componentes: o homem com raiva justificável encontra o local certo para sua raiva justificável. E no processo mata alguns bandidos, é claro. Will se junta à polícia de Nova York e descobre rapidamente que ele não será tratado como o resto dos policiais. O chefe de polícia nem sequer aperta a mão na formatura. Em vez disso, o único superior negro do departamento faz e envia um aviso de “cuidado com o ciclope”.

O Ciclope, da melhor maneira que podemos entender agora, é a vasta e insidiosa conspiração à qual o mais velho Will Reeves aludiu. Muitas pessoas poderosas dentro de instituições importantes conspiram e usam sua influência para degradar, humilhar e matar americanos negros. Will primeiro veste a capa da justiça quando seus colegas policiais fingem linchar depois de prender alguém que ele “não deveria”. O resto se apresenta como um dos maiores sucessos da história do Justiça Encapuzada e a após brigar em uma mercearia ele se junta aos Minutemen, tem um caso com o Capitão Metropolis e muda a própria história do mundo simplesmente usando uma máscara. Mas o que as histórias deixam de fora, no entanto, é essa vasta conspiração. O Klan, como Capitão Nelson resume sucintamente, está usando o mesmerismo para aterrorizar os moradores negros do Harlem e talvez o Justiça Encapuzada é o único que se importa. 

Cenas de destaque do episódio 06, ‘This Extraordinary Being’ – Watchmen / HBO & DC Entertainment

Por mais brilhante que tenha sido esta parte intermediária de Watchmen, com três episódios fenomenais, parte da empolgação da configuração original de Tulsa foi perdida à medida que o programa reintroduzia peças e personagens importantes de Watchmen. ‘This Extraordinary Being’ traz de volta como algo maior e mais importante tema do programa: o racismo como o pecado original da América. A visão de um jovem Will Reeves, vestindo sua pequena jaqueta e segurando um bebê enquanto ele olha de volta para as brasas ardentes do mundo que ele acabou de perder é absolutamente devastador e neste momento temos um personagem inspirado por conseguir o que sempre desejou, vingança;

Will mata inúmeros homens da Klan e até Judd Crawford nos dias atuais com a tecnologia do mesmerismo. Mas nenhuma vingança justa pode desfazer aquele dia em Oklahoma, ou impedir que sua família fuja do homem que ele se tornou. 


Leia a crítica dos episódios anteriores da primeira temporada:

WATCHMEN | Primeiras impressões da nova série da HBO – Episódio #01 (Pilot): It’s Summer and We’re Running Out of Ice (Crítica)

WATCHMEN | Caçada pela verdade em meio a uma vasta e insidiosa conspiração – Episódio #02: Martial Feats of Comanche Horsemanship (Crítica)

WATCHMEN | Eu tenho uma piada. Me interrompa se você já ouviu essa…– Episódio #03: She Was Killed by Space Junk (Crítica)

WATCHMEN | O legado não está na terra, mas no sangue – Episódio #04: If You Don’t Like My Story, Write Your Own (Crítica)

WATCHMEN | As respostas são espelhadas sem medo – Episódio #05: Little Fear of Lightning (Crítica)


Confira a promo do episódio 07, intitulado “An Almost Religious Awe”: 

Comente!

Watchmen - 1ª Temporada

10

Nota para o episódio:

10.0/10

Prós

  • Elenco
  • História e Ambientação
  • Personagens
  • Prólogo
  • Roteiro e Produção
Comments

Críticas e Reviews

EM CARTAZ!

Agregalinks - O melhor agregador de links para blogs EuTeSalvo - Salvando os melhores blogs! Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui! Agregador de conteúdo TrendsTops Uêba - Os Melhores Links

Em Destaque

%d blogueiros gostam disto: