Connect with us
WESTWORLD | Quebrando regras – Episódio 02: The Winter Line (Crítica da 3º Temporada) - Protocolo XP

Crítica

WESTWORLD | Quebrando regras – Episódio 02: The Winter Line (Crítica da 3º Temporada)

Published

on

Quando Westworld funciona é um mistério de torcer a cabeça com camadas e mais camadas de perguntas se formando e se alimentando. Já quando Westworld não funciona, ainda é tudo isso, exceto que a recompensa não compensa ou a implementação real da confusão apenas deixa os espectadores irritados. Em “The Winter Line” temos muitas camadas de confusão e conflito descascando lentamente como uma cebola, contadas quase exclusivamente pelo ponto de vista de uma das personagens mais fortes do programa, e nessa frente é uma alegria absoluta assistir.

O episódio começa de forma inocente com Maeve (Thandie Newton) acordando na Itália ocupada pelos alemães no final da Segunda Guerra Mundial. Warworld é outro dos muitos parques de diversões para adultos da Delos e mesmo que os convidados não estejam correndo no meio da batalha, as simulações e o trabalho continuam enquanto todos esperam para descobrir se os parques serão ou não fechados ou vendidos para uma empresa diferente. Assim todo mundo espera, os anfitriões se matam e Maeve acorda como uma espécie de espiã em um cenário direto de um filme de ação de volta a uma área desconhecida do parque.

A maneira como a aventura de Maeve é ​​criada é lindamente creditada pelos roteiristas Matt Pitts e Lisa Joy. O frio se abre com Maeve e Hector (Rodrigo Santoro) embarcando em um thriller de espionagem para escapar da Itália ocupada pelos nazistas com alguns planos cruciais para o esforço de guerra dos Aliados. Em nenhum momento está claro que as façanhas de Maeve fazem parte de um caminho específico esculpido para ela na narrativa maior do Mundo de Guerra. 

Thandie Newton e Rodrigo Santoro em cena da série Westworld / HBO

A cada passo, o diálogo parece sugerir que Maeve e Hector sobreviveram à experiência no final da segunda temporada como anfitriões autoconscientes e agora estão tentando escapar não do jogo de guerra, mas do próprio mundo, até a grande revelação acontecer. Hector a chama não de Maeve, mas de Isabella. Um caminho esperançoso de fuga é interrompido imediatamente e uma das poucas esperanças de Maeve também é esmagada sob a bota dos esforços combinados com nazistas e designers da simulação do jogo. 

As coisas só pioram para Maeve e as realizações continuam chegando a ela cada vez mais rápido ao longo do episódio. Toda pequena revelação sobre o mundo ao seu redor, no qual ela está em uma simulação de uma simulação, acaba sendo um pouco mais deprimente que a anterior, até que ela descobre exatamente como manipular o sistema em que está presa e sobrecarrega tudo em um esforço para quebrar a quarentena.

O crédito total para este trabalho vai para Thandie Newton e a sua personagem bem escrita, seu desempenho como a única “pessoa” autêntica em um mar de artifícios é lindamente tratado e a cada revelação sua resposta fica um pouco mais abafada. A falta de consciência de Hector misturado com a magoa que fizeram ela chegar ao ponto de se matar acabou fazendo ela acordar na mesa do controle de qualidade, local que é um pouco mais familiar para ela, embora ela esteja um pouco surpresa que Felix (Leonardo Nam) e Sylvester (Ptolemy Slocum) pareçam não a reconhecer. Sua resposta é expressa o suficiente para que possa ser interpretada como falta de reconhecimento, surpresa por ela ainda estar em funcionamento e por medo de poder arrastá-los para outra aventura contra a vontade deles, o que obscurece ainda mais a cena até que Maeve descobre que Lee Sizemore (Simon Quartermain) está vivo, ou quase isso.

Thandie Newton em cena da série Westworld / HBO

Felizmente, Maeve está acostumada a ganhar em jogos fraudulentos nos quais você só precisa descobrir as regras e quebrá-las (o que é uma linha brilhante, principalmente quando usada por essa personagem, que sempre quebra as regras a partir do momento em que ela ganha consciência). Ela descobrirá que suas habilidades e durezas são valiosas, não importa em que mundo ela esteja, mas principalmente no mundo real, quando tiver a tarefa de impedir a maior ameaça à humanidade, Dolores Abernathy (Evan Rachel Wood). Afinal, ela é esperta o suficiente para descobrir que está em uma simulação, que Hector foi transformado novamente em um host, que Lee agora é um host, e o mundo inteiro em que ela está é uma simulação. 

O diretor Richard J. Lewis faz bom uso de ambos os artistas e testemunha os múltiplos níveis de decepção de Maeve lentamente sendo desembrulhados em uma resposta emocional silenciosa, mas genuína em suas cenas. A central de Westworld está desolada, com menos da metade da equipe e os funcionários que estão nas instalações são em sua maioria guardas armados e técnicos entediados esperando que algo aconteça.

D.B. Weiss e David Benioff showrunners de Game of Thrones em cena easter-egg na série Westworld / HBO

Entre essas cenas acabamos tendo a participação dos showrunners de Game of Thrones, D.B. Weiss e David Benioff, como dois técnicos do parque, ao lado de um dragão que se assemelha bastante a Drogon, cria de Daenerys Targaryen (Emilia Clarke). Um deles ameaça cortar o animal robô em pedacinhos e levar para a Costa Rica, onde teria um possível comprador. Enquanto possa parecer que a HBO está dando uma localização para Westeros, trata-se de mais uma referência: Ilha Nublar, na Costa Rica, é onde fica o Jurassic Park, na obra literária de Michael Crichton, também responsável por dirigir o filme Westworld – Onde Ninguém Tem Alma em 1973.

Após isso, Maeve começa a descobrir as regras do jogo, ela começa a brincar com eles, primeiro amarrando dois funcionários falsos, depois dezenas, depois amarrando dezenas e desativando todos os hosts ativos na simulação até o ponto em que todo o sistema congela e trava, exceto ela e Lee. Essa imagem de soldados alemães congelados no meio da batalha com sangue e balas congelando no ar é uma das coisas mais impressionantes que o programa colocou na tela, e é um momento brilhante e heroico para Maeve, mesmo que ela esteja triste por sair por trás do espectro de Lee e do mundo que ela conhece. É um momento comovente para Maeve, mesmo que isso provavelmente não seja o último encontro que ela terá com o escritor-chefe das violentas delícias da Delos.

Jeffrey Wright e Luke Hemsworth em cena da série Westworld / HBO

Não ter Dolores em um episódio tão cedo na temporada é uma decisão bastante ousada da série e ter Maeve lutando pela liberdade por um lado e Bernard (Jeffrey Wright) iniciando sua perseguição com Ashley (Luke Hemsworth, que faz um excelente trabalho de atuação física para interpretar o danificado e irritado Ashley antes dos reparos de Bernard) é um bom equilíbrio após a estreia que teve seu foco em Dolores e suas aventuras no mundo real. Também ajuda a enfatizar um fato simples: ela está reunindo recursos e fazendo incursões no mundo real e os dois passos de Bernard estão atrás dela tentando alcançá-la quando ela for começar a planejar a sua rebelião contra os humanos.

As duas inteligências artificiais são extremos opostos, com Dolores tendo todo o poder, toda a crueldade e toda a motivação que ela precisa. Bernard trabalha nas sombras, trabalha em desvantagem e precisa tentar ser mais inteligente para compensar sua falta de dinheiro e falta de vontade de usar a sua força bruta. Maeve, assim como Rehoboam, é um curinga que pode ser usado por ambos os lados. 

Vincent Cassel em cena da série Westworld / HBO

Com o surgimento de Serac (vívido por Vincent Cassel, que nos fornece um frescor e gravidade instantânea que não é visto na série desde que Abraham Ford era um personagem comum) que estará colocando Maeve no meio desta batalha ao usar o truque de convencê-la a fazer o que é melhor para ele no processo, temos aqui um dilema em que a personagem estará fazendo o que é melhor para ela ou vai esperar que sua influência seja suficiente para mantê-la na fila por tempo suficiente para atingir seus objetivos. Ela provou repetidas vezes que, não importa qual controle você sinta que tem sobre ela, ela tem a capacidade de quebrá-lo. 


Confira a prévia do episódio 03, intitulado “The Absence of Field” (leia descrição do episódio, clicando aqui). Lembrando que Westworld é transmitida todo domingo, às 22h, na HBO:

Comente!

Westworld - Epispodio 02

9

Nota para o episódio:

9.0/10

Prós

  • História
  • Elenco
  • Easter-eggs
  • Enredo

Contras

  • Episódio meio lento e confuso
Comments

Críticas e Reviews

Agregalinks - O melhor agregador de links para blogs EuTeSalvo - Salvando os melhores blogs! Está no seu momento de descanso né? Entao clique aqui! Agregador de conteúdo TrendsTops Uêba - Os Melhores Links

Em Destaque

%d blogueiros gostam disto: