CríticaEquipe Protocolo XP

ZUMBILÂNDIA: ATIRE DUAS VEZES | Quando o segundo tiro acerta em cheio! (Crítica)

Zumbilândia: Atire Duas Vezes (Zombieland: Double Tap) 2019 é um daqueles casos cada vez mais raros, de uma sequência que consegue ser melhor que o original. E olha que essa era uma tarefa difícil, pois a mistura equilibrada de horror e comédia de Zumbilândia (Zombieland) 2009 o tornaram uma obra com uma personalidade especial. Mas Zumbilândia: Atire Duas Vezes não apenas expande o mundo do anterior como consegue imprimir sua própria personalidade, criando uma divertida experiência que não depende do expectador ter assistido ao primeiro filme para poder curtir.

(Imagem Promocional: Zumbilândia: Atire Duas Vezes – Sony Pictures)
O Enredo

A história de Zumbilândia: Atire Duas Vezes continua 10 anos depois do final de Zumbilândia, logo de cara somos apresentados a alguns novos tipos de zumbis que surgiram nesse meio tempo. Além dos zumbis normais agora temos zumbis especiais, que são mais inteligentes, rápidos ou melhores caçadores. Após somos apresentados ao grupo de protagonistas do filme anterior, e ao que tudo indica eles passaram os últimos 10 anos buscando um novo lar. E quando parece que essa busca finalmente terminou, somos apresentados a novos personagens e a um novo tipo de zumbi, muito mais perigoso que tudo que já se viu.

A Arte

O filme segue a fórmula do anterior, com muito sangue e tripas, tudo isso apresentado de uma forma clara e divertida. E conta com muitos efeitos especiais práticos envolvendo veículos e explosões, todos eles muito bem-feitos. E as partes onde são utilizados efeitos especiais digitalizados, também não fazem feio, com um destaque especial para alguns dos momentos “Morte de Zumbi da Semana” que se aproveitam muito bem desses efeitos.

(Imagem Promocional: Zumbilândia: Atire Duas Vezes – Sony Pictures)
O Som

Zumbilândia: Atire Duas Vezes conta com uma mixagem de áudio competente, e com tantas mortes, tiros e explosões isso é um fator crucial para o filme. Os efeitos sonoros também funcionam e ajudam a vender a história, tudo isso sem ser artificial de mais. A trilha sonora é bem colocada, mas não é das mais memoráveis, está ali apenas para fazer seu papel de ajudar na imersão, sem tentar roubar a cena.

As Atuações

Mesmo contando com excelentes atuações é preciso deixar claro, Woody Harrelson e seu Tallahassee carregam esse filme nas costas, com uma das melhores atuações cômicas do ano. Em vários momentos Tallahassee faz a plateia rir apenas com a expressão de seu rosto, sem precisar dizer nenhuma palavra, algo que definitivamente não é para qualquer um. Além dele temos um elenco super competente que não faz feio e consegue nos fazer acreditar que aquele mundo absurdo é real. Outro destaque fica para a participação de Luke Wilson e Thomas Middleditch como Albuquerque e Flagstaff, versões espelho engraçadíssimas de Tallahassee e do Columbus de Jesse Eisenberg. Ainda sobre as participações, existe mais uma sensacional, nos pós-créditos, da qual não falarei mais para não estragar a surpresa.

(Imagem Promocional: Zumbilândia: Atire Duas Vezes – Sony Pictures)

Sem dúvidas Zumbilândia: Atire Duas Vezes é um prato cheio, para quem gostou do primeiro filme. Demorou 10 anos, mas a espera realmente valeu a pena! E mesmo que você ainda não tenha assistido o primeiro, mas gosta de filmes de zumbi ou está procurando uma boa comédia com bastante humor negro, Zumbilândia: Atire Duas Vezes com certeza vai lhe agradar. Não espere o apocalipse zumbi para assistir este filme no cinema particular do Bill Murray, e vá vê-lo agora!

Nota: 4,5 / 5

Trailer:


Gostou da matéria? Então dá aquela força, comenta e compartilha com seus amigos, curta, siga e fique ligado no Protocolo XP nas redes sociais.

Protocolo XP no Facebook

Protocolo XP no Twitter

Protocolo XP no Instagram

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo