HQs, Mangás e Livros

DESTRO | No rastro de Doutrinador, o novo herói do quadrinho brasileiro

Olá galera, tudo certo? Standing in the shoulder of giants. Como sempre. Hoje vamos falar de um quadrinho nacional, que tá bombando e que tá vindo na trilha do sucesso de um que recentemente ganhou as telas do cinema nacional (de qualidade galera), O Doutrinador.

Quadrinhos de temática ideológica viraram mato. E num cenário como esse é bom sempre ter os dois lados, certo. Ainda mais quando você traz referências a quadrinhos de sucesso. Nessa estrada apresento Destro – O Martelo da Direita (Ed Campos e Michel Gomes, 2020, Independente).

Um herói contra regimes totalitários.

Destro se baseia em um futuro distópico e por incrível que pareça tem muito a ver com nossa realidade. O quadrinho é direto com advertências claras dadas ao perigo do socialismo e regimes totalitários. Se fazendo valer de uma história que lembra o game Wolfenstein atual, só que com o Brasil como pano de fundo e sem o nazismo, mostra o total perigo de um país que renega o regime democrático em nome de uma ideologia.

Em uma 2045 distópica, após uma corporação fraudar as eleições americanas, o país é tomado por um totalitarismo governado por poderosos, em um cenário como esse surge um herói posicionado, anti-sistema, que assim como o Doutrinador, aparece para limpar a bagunça e ajudar as pessoas a escapar daquela realidade e resistir a aquele terrível sistema. Qualquer semelhança com governos ditatoriais da atualidade é mato.

Destro é claramente influenciado por Escalpo, DMZ e o quadrinho Polar, que virou filme da Netflix com Mads Mikkelsen. Vai contar com textos escritos por Olavo de Carvalho e outros intelectuais. O quadrinho nacional reage.

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: