Review

CODE VEIN | O harém de Waifu com espadas gigantes (Review)

Code Vein é um jogo feito pela mesma empresa que fez God Eater, mas ao invés de vir com uma pegada RPG, veio com um estilo Souls like (jogos no estilo Dark Souls), porém o game vem cheio de Waifu (um dialeto para homens que sentem atração por garotas de animes, ou desenho de animes bem sexualizados).

O jogo conta com um ótimo sistema de criação de personagens, você escolhe sempre entre um homem ou uma mulher e customiza tudo do seu personagem.


Code Vein é um jogo médio, e um grande fator ruim do game são seus mapas, esses que são muito bem similares, com duas delas mudando as tonalidades e as outras mudando somente a ordem que começa. O jogo contém também um esquema que você fala com um NPC que te leva para as profundezas, aonde você pode capturar itens que ajudam a achar memórias desses NPCs que seguem com você.

Esses itens de memória chamamos de Vestígios, no qual o personagem segue andando e vendo algumas imagens e ouvindo toda a conversa de fundo para descobrir o que aconteceu nessa memória, sempre que você acaba matando um Boss do jogo é interessante voltar para o mapa que já visitou que sempre aparece uma missão nova.

O sistema de cura tem uma limitação, tanto para aprimorar quanto para uso, temos pouca variedade de inimigos, o que no geral é só o mesmo inimigo mas com uma “skin” diferente, o sistema de troca de classe desse jogo é o mais dinâmico e o mais completo que eu vi.

O sistema de classe aqui é chamado de “código de sangue” e cada um tem a sua Build própria e com suas próprias habilidades, que você pode trocar a hora que se sentir a vontade, para evoluir rápido nesse jogo e sempre evoluímos nos Viscos, a ferreira evolui suas armas/armaduras até o +10, infelizmente ele não sobe mais que isso.

Podemos ter também uma variedade de armas e armaduras e muita variedade de magias e efeitos passivos, temos poucos carregamentos entre as fases, porém, temos as Cutscene ou Fast travel que acabam demorando um pouco, mas se você vai jogar com teclado e mouse o jogo é extremamente não jogável, pois tem um delay gigante tanto no mouse quanto no teclado. Mas se você coloca um controle de PS4 no computador ele reconhece na hora e o jogo já passa todos os comando para este controle plugado.

Outro Bug que eu achei no jogo é que se você consumir muito rápido os fragmentos que acaba lhe dando as Brumeas do inventário (as almas do jogo para evoluir ou comprar itens), elas não são adicionadas no contador e desaparecem do inventário.

Uma coisa que eu não gostei mesmo é que o jogo tem muita sexualização nas personagens femininas, todas tem seios bem exagerados e se você monta uma personagem, isso não faz diferença nenhuma na se ela tem seios pequenos ou gigantes durante a jogatina, todos os personagens tem histórias tristes e as dublagens americanas são ruins demais, nem parece que estão atuando e sim lendo. Já a dublagem japonesa é muito boa e o game possui 3 finais, o lado bom é que o game tem uma boa otimização com o computador, ele é bem leve, além de ser um jogo muito bonito, ele também tem um ótimo gameplay de combate.

Nota : 4/5
                                                                             

Essa review foi produzida com cópia do jojo gentilmente oferecida pela Nuuvem. Para adquirir Code Vein, clique aqui!


Gostou da matéria? Então dá aquela força, comenta e compartilha com seus amigos, curta, siga e fique ligado no Protocolo XP nas redes sociais.

Protocolo XP no Facebook

Protocolo XP no Twitter

Protocolo XP no Instagram

Marcos Serafim

Um jovem amante de Tokusatsu há 30 anos, apaixonado por games, Dragon Ball e Zohan

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: