Review

MUTANT YEAR ZERO : ROAD TO EDEN | Uma aventura que combina combate tático, furtividade e exploração com Mutantes (Review)

Mutant Year Zero: Road to Eden é um jogo tático baseado em turnos, desenvolvido pelo estúdio sueco The Bearded Ladies e publicado pela Funcom, lançado para PS4, Xbox One, PC e Switch e baseado no RPG Mutant Year Zero. 

 

O jogo se passa em um futuro pós-apocalíptico onde a civilização foi praticamente extinta. Restam poucos sobreviventes que vivem juntos na Arca, uma fortificação ao qual eles precisam se fechar para se proteger dos Ghouls, que costumavam ser seres humanos mas que foram corrompidos pelo mal que dizimou o mundo. A trama do jogo não possui nada de muito inovador, por vezes se baseando em clichês, mas nada que atrapalhe o jogo, trazendo inclusive um roteiro bem desenvolvido.

Os sobreviventes na Arca, se transformaram em Mutantes, e são guiados pelo Ancião, único entre eles que tem lembranças do passado e busca um futuro para sua espécie. Dentre os Mutantes, o jogador comanda alguns Stalkers, que são encarregados de explorar a chamada Zona, em busca de recursos cada vez mais escassos.

No jogo, controlamos Bormin e Dux, que são, respectivamente um javali e um pato humanóide, cuja missão é buscar outro stalker perdido na zona, Hammon, que é o resposável por manter todos os sistemas da Arca em funcionamento. No desenrolar do jogo, também passamos a controlar Selma, esta que tem aspecto predominantemente humano.

Nas aventuras em Mutant Year Zero: Road to Eden, o jogador controlará três personagens simultaneamente, cada um com estilos diferentes, no melhor estilo classes de RPG, onde cada membro do grupo terá seu papel próprio. Entre nossos 3 protagonistas, temos Dux que utiliza sua besta, uma poderosa arma a distância, já Bormin, que fisicamente já deixa explícito seu papel de tank, utiliza uma espingarma, enquanto Selma é a especialista em explosivos da equipe.

Mutant Year Zero: Road to Eden, possui um mundo semi-aberto, uma vez que é composto por diversos cenários onde o jogador tem a liberdade de explorar da forma como preferir, mas todos separados e interligados, tendo que ser carregado separadamente cada cenário.

O sistema de batalha em turnos é muito bem desenvolvido, e a estratégia do jogador é colocada a prova. Antes de iniciar batalha, é fortemente recomendável que todo o cenário seja explorado e os personagens sejam posicionados de forma inteligente para surpreender e derrotar os inimigos, alguns mais fracos e outros além de mais fortes, que fazem bom uso do mapa para se esconderem da linha de tiro.

Os gráficos do jogo, não trazem nada de inovador ou espetacular, mas entrega o essencial para o jogador e, convenhamos, não é essa a principal preocupação para quem curte um jogo do estilo. Aqui temos o necessário para garantir imersão no jogo e riqueza de detalhes para ajudar durante a exploração de cada mapa.

Em suma, Mutant Year Zero: Road to Eden é uma excelente escolha aos fãs de RPGs e jogos de turno em geral. Por possuir três diferentes níveis de dificuldade, ele se adapta de forma satisfatória a diferentes estilos de jogo e jogadores. O jogo também exige inteligência tática e estratégia, habilidades necessárias e presentes em todo bom jogador de RPG, que poderá colocar tudo isso a prova durante sua jogatina.

Nota: 4 / 5

Essa review foi desenvolvida com uma cópia do jogo gentilmente fornecida pela GOG Galaxy. Para adquirir Mutant Year Zero: Road to Eden, clique aqui!.


Gostou da matéria? Então dá aquela força, comenta e compartilha com seus amigos, curta, siga e fique ligado no Protocolo XP nas redes sociais.

 

 

William Peloso

Pai do Pedro, Flamenguista, administrador e redator do Protocolo XP, auxiliar fiscal, muito prazer, William! Foco dividido em diversas áreas de cultura nerd/pop/geek, navegando entre games, livros, filmes, séries, animes e quadrinhos e claro, grande fã de Harry Potter, da Marvel, DC, Xbox, Playstation, Nintendo e PC!

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo
%d blogueiros gostam disto: