Equipe Protocolo XPReview

RESIDENT EVIL 3 | Um dos melhores games para se jogar nessa quarentena! (Review)

Resident Evil 3 (2020), é o remake do aclamado survival horror de mesmo nome, lançado originalmente em 1999. Desenvolvido e distribuído pela Capcom, o game chega ao PC, Playstation 4 e Xbox One, trazendo uma versão repaginada do clássico da era dos 32 bits. Apesar de seus defeitos Resident Evil 3 consegue ser um jogo extremamente divertido, que sacrifica o terror e quebra cabeças da versão original em nome de uma aventura com ação frenética e maior desenvolvimento da narrativa. Mas o maior acerto do game mesmo que acidental, talvez seja a infeliz coincidência de ser lançado em meio a uma quarentena real.

(Imagem Promocional: Resident Evil 3 – Capcom)

A história do jogo se passa na cidade de Racoon City, logo após os eventos de Resident Evil, e antes dos acontecimentos de Resident Evil 2. De alguma forma o Virus T conseguiu chegar até a cidade junto a vários dos experimentos da Umbrella. Agora Racoon entra em quarentena, enquanto rapidamente se torna um verdadeiro inferno devido aos zumbis que se multiplicam rapidamente nas ruas. Nesse cenário desesperador você assume o papel de Jill Valentine, uma policial membro do grupo especial S.T.A.R.S. e uma das poucas sobreviventes dos eventos do primeiro game. Agora Jill se vê nesse cenário terrível, tentando ajudar os sobreviventes enquanto é caçada por Nêmesis, uma nova arma biológica da Umbrella, que parece ter sido enviada com o único objetivo de eliminar todos os S.T.A.R.S. que restaram.

Se você já finalizou o Resident Evil 3 original, pode até pensar que já conhece a história do remake, bom se você pensa assim está redondamente enganado. A nova versão do jogo traz a mesma premissa, mas conta com uma história que se desenvolve de maneira completamente diferente, como se o mesmo evento estivesse sendo relatado por duas pessoas diferentes. Por exemplo, existem eventos que na versão original eram vividos por certos personagens que no remake estão em outro lugar fazendo outra coisa. Outro exemplo, são cenários que eram explorados na versão original e que ficam somente de segundo plano no remake. Isso infelizmente acaba dando uma impressão de o novo jogo é mais curto, por ter uma história que em alguns momentos parece estar resumida.

(Imagem Promocional: Resident Evil 3 – Capcom)

No quesito gráfico, Resident Evil 3 traz gráficos no mesmo nível de Resident Evil 7 e Resident Evil 2 remake. Ou seja, espere belíssimos gráficos cheios de detalhes, que beiram o fotorrealismo. Racoon City está muito realista, e diferente das vielas estreitas impostas pelas limitações técnicas da época no original, o remake conta com várias áreas abertas e em alguns lugares ainda intocadas pelo caos que consome a cidade, que são simplesmente de tirar o folego. Mas nem tudo são flores, especialmente para os jogadores no PC, e nesse caso o preço dos belos gráficos acabam sendo a exigência de um computador com hardware mais parrudo.

Um dos destaques de Resident Evil 3 é sem sombra de dúvidas a parte sonora, feita de maneira exemplar. O game usa o som de forma magnífica, na criação de uma ambientação imersiva. Você consegue escutar os passos e gemidos de zumbis que estão nas redondezas, mesmo quando está em uma sala vazia, o que acaba contribuindo bastante para a criação de uma sensação de tensão, especialmente quando você escuta passos se aproximando, você nunca sabe se é um sobrevivente, um zumbi ou coisa pior.

(Imagem Promocional: Resident Evil 3 – Capcom)

A jogabilidade é uma versão atualizada, do sistema original do jogo. Aqui você pode andar, correr, esquivar, mirar, atirar, esfaquear e interagir com objetos específicos do cenário, tudo muito parecido com a jogabilidade que você já encontrava na versão original e em Resident Evil 2 remake. A mecânica de criação de munição também está de volta aqui, só que dessa vez bem simplificada. As maiores novidades em relação ao game original estão realmente na capacidade de andar e atirar ao mesmo tempo e de recarregar sua arma usando apenas um botão, sem a necessidade de abrir o menu para isso, coisas que se tornaram básicas nos games modernos. E infelizmente a mecânica de jogabilidade de escolher rapidamente entre opções durante o jogo, foi removida aqui.

Mas nem tudo é perfeito em Resident Evil 3, o game possui seus defeitos também. Entre eles podemos citar alguns como a inteligência artificial precária dos inimigos, durante sua jornada não será incomum ver zumbis andando contra paredes e obstáculos ao invés de dar um passo para o lado para ir em sua direção, além de outros inimigos que não se mostram capazes de bolar estratégias como flanquear ou encurralar, e eles sempre irão para cima de você com sangue nos olhos, infelizmente nem mesmo Nêmesis é diferente nesse quesito. Outro ponto negativo é a retirada ou simplificação de vários quebra-cabeças que estavam presentes no original, assim como os cortes na história de modo geral.

(Imagem Promocional: Resident Evil 3 – Capcom)

Mas sem dúvidas um dos pontos mais baixos é a mecânica de combate, trazendo os mesmos fundamentos de Resident Evil 2 remake, onde o dano causado pelos seus tiros parecem iguais em qualquer parte do corpo do inimigo incluindo a cabeça, tornando tiros na cabeça como estratégia para economizar munição, algo inútil. Outro ponto é o dano visível causado por armas pesadas, em Resident Evil 3 parece que você recebe uma espingarda e lançador de granadas de airsoft, pois embora o dano dessas armas sejam maiores e matem os inimigos com menos tiros, não existe nenhum tipo de desmembramento, tornando algo que poderia ser épico em uma experiência ridícula.

Embora Resident Evil 3 não seja perfeito, ele é com certeza um jogo extremamente divertido e vale a pena não só pelo seu modo single player que possui um fator replay praticamente ilimitado para quem deseja buscar seu melhor tempo na finalização da história, mas também pelo seu interessante modo multiplayer, Resident Evil Resistance, para jogar com os amigos. De qualquer forma Resident Evil 3 fica mais que recomendado!


Trailer:

8.5

Nota para o jogo:

8.5/10

Prós

  • Belos gráficos
  • Ação frenética
  • Áudio imersivo

Contras

  • Inteligência artificial pobre
  • Cortes em relação ao game original
  • Mecânicas de combate desleixadas

Artigos relacionados

Botão Voltar ao topo